Central Telefônica: 71 3203.5555 . Centro Médico: 71 3203.3400 . Marcação de Exames: 71 3203.5601

Notícia

HOME / Ensino e Pesquisa / Pesquisas / Em Andamento / 2014 / Água e frutas para combater a ressaca

Água e frutas para combater a ressaca

Dr. Márcio Peixoto*

 

Depois de uma noite de bebedeira, você acorda com uma sensação de mal estar por todo o corpo. Boca seca, dores de cabeça, enjoo, sensibilidade à luz, diarreia e cansaço, todos são sintomas da intoxicação causada pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Conhecida como ressaca, esse conjunto de alterações fisiológicas acontece após o processo de eliminação do álcool pelo organismo.

 

Para metabolizar o álcool, o corpo precisa realizar um grande esforço. O sistema nervoso e o fígado são os mais atingidos. Ao entrar na corrente sanguínea, o álcool causa dilatação nos vasos. Na sequência, há uma diminuição da vasopressina, que é um hormônio antidiurético, resultando na vontade constante de ir ao banheiro e na perda excessiva de líquidos. Também há a redução da quantidade de glicose que chega ao sistema nervoso. Além disso, o fígado precisa trabalhar dobrado para produzir as enzimas que irão metabolizar o álcool presente na bebida – normalmente o fígado consegue processar apenas uma dose de álcool por hora.

 

A partir do momento em que o consumo de bebidas é interrompido, o corpo desacelera e surgem os primeiros sintomas da ressaca. Os vasos dilatados causam dores de cabeça, náuseas, taquicardia e lentidão nos reflexos. A acidez do sangue, provocada pelo excesso de álcool e pela desidratação, deixa a boca seca, a garganta doendo e causa falta de apetite e vômitos. A carência de glicose no organismo contribui para as sensações de franqueza e cansaço. Os olhos ficam mais sensíveis por conta da estimulação exagerada dos neurotransmissores, responsáveis por captar estímulos como luz e sons.

 

Nem todos que bebem, sofrem com a ressaca. Os sintomas irão aparecer a depender da quantidade de álcool ingerida, da habituação do fígado com a bebida e da hidratação do corpo. Mas para aqueles que sempre sofrem com os sintomas pós-bebedeira, vale consumir bastante água, água de coco e frutose, que são os açúcares presentes nas frutas e no mel, através da ingestão de sucos, saladas de frutas ou mesmo in natura. Dessa forma, os sais minerais e vitaminas serão repostos e a recuperação do organismo será bem mais eficiente.

 

* Clinico Geral e Coordenador da Clínica Médica e da Unidade Semi-intensiva do HP.

 

       
ANAHP - Associação Nacional de Hospitais Privados ONA - Organização Nacional de Acreditação Creditação  Qmentum
   
Av. Princesa Isabel, 914, Barra Avenida, 40.140-901, Salvador, Bahia.
71 3203.5147 71 3203.5555 71 3203.3400 71 3203.5601