Central Telefônica: 71 3203.5555 . Centro Médico: 71 3203.3400 . Marcação de Exames: 71 3203.5601

Notícia

HOME / Hospital / Notícias / 2018 / Maio / Hepatites virais

Hepatites virais

07 May 2018

Hepatites virais

virusOs agravos à saúde causados pelas hepatites virais (desde quadros graves da hepatite crônica, cirrose e até o câncer primário de fígado) respondem por cerca de 1,4 milhão de óbitos, anualmente, em todo o mundo. No Brasil, milhares de pessoas estão infectadas, principalmente, pelo vírus da hepatite C, de acordo com o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2017, do Ministério da Saúde (MS). Este cenário motivou um novo plano federal para erradicar a doença, até 2030. Além de consolidar a vacinação para hepatite B, as estratégias envolvem aumento da testagem e diagnóstico das hepatites B e C, em toda a população, através do SUS; e oferta de tratamento gratuito, independentemente da gravidade da doença. Para o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) e coordenador da Unidade de Gastro-Hepatologia do Hospital Português, Dr. Paulo Lisboa Bittencourt, a medida deve evitar o surgimento de casos novos de hepatite e impedir sua progressão para cirrose e câncer de fígado – ao erradicar o vírus C e controlar o contágio do vírus B. Nesta entrevista, o especialista esclarece as formas de transmissão e prevenção das hepatites, e os avanços no tratamento. Confira!         

                                                                                       

1.   Considerando que as hepatites não costumam apresentar sintomas, quem deve realizar o teste sorológico para diagnosticar a doença?

Todas as pessoas que fazem parte do grupo de risco para hepatites B e C devem realizar o teste sorológico para diagnosticar estas doenças. No grupo de risco para a hepatite C estão pessoas acima de 40 anos ou de qualquer idade, que realizaram cirurgias ou transfusão de sangue, há mais de 20 anos; pessoas que compartilham agulhas injetáveis e objetos cortantes; quem aplicou tatuagens ou piercings em ambiente não estéril e sem material descartável; quem faz sexo desprotegido com múltiplos parceiros; e quem possui o vírus HIV. Quem pertence a este grupo de risco e também tem pais ou familiares de primeiro grau com história de infecção por hepatite B deve, ainda, realizar o teste sorológico anti-HBV.

 

2. Como se dá a transmissão dos vírus das hepatites?

Em geral, as hepatites A e E têm transmissão fecal-oral relacionada a más condições de saneamento básico, higiene pessoal, água ou alimentos contaminados. Já os vírus B e C podem ser transmitidos por via parenteral (injetável), sendo os fatores de risco principais: transfusões de sangue ou hemoderivados (realizadas antes de 1992), uso de drogas compartilhando seringas e agulhas, ato sexual.

 

3. O diagnóstico precoce pode evitar quais complicações?

Hepatite crônica, cirrose e câncer no fígado. O diagnóstico precoce permite tratar a hepatite C, com chance de cura superior a 90%, atualmente; e também controlar o contágio da hepatite B, impedindo que a doença avance para cirrose.

                                                                                                                   

4. Novas medicações para hepatite C crônica têm obtido grande sucesso terapêutico, segundo o MS. O Brasil tem acompanhado essa evolução mundial? 

Sim. Atualmente, a hepatite C tem cura. O tratamento é feito pelo SUS, com comprimidos por via oral, tendo efeitos colaterais mínimos. No Brasil, mais de 90% das pessoas tratadas, mesmo em fase de doença avançada, eliminaram o vírus. 

 

5. Algumas pessoas apresentam cura espontânea da hepatite?

Eventualmente. Entretanto, somente um especialista pode avaliar o quadro clínico do paciente, de modo individualizado, para definir o diagnóstico preciso e a conduta mais adequada para tratamento. 

                                                                                                

6. A vacinação contra hepatite é eficaz?

A vacinação é a forma mais eficaz de obter imunidade permanente para os vírus da hepatite A e hepatite B. Não existem, ainda, vacinas para a hepatite C. Logo, a prevenção deve ser feita, evitando-se a exposição aos fatores de risco já citados.

Clique no link abaixo e leia a Revista Imagem Real de Maio/18 completa:
http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real 

 

       
ANAHP - Associação Nacional de Hospitais Privados ONA - Organização Nacional de Acreditação Creditação  Qmentum
   
Av. Princesa Isabel, 914, Barra Avenida, 40.140-901, Salvador, Bahia.
71 3203.5147 71 3203.5555 71 3203.3400 71 3203.5601